A seleção francesa não se livrou de um “susto” na estreia neste Mundial 2022 visto que começou a perder diante da congénere da Austrália, acabando no entanto por confirmar o amplo favoritismo que ostentava ao levar a melhor por quatro bolas a uma. Olivier Giroud, substituto do malogrado Benzema no onze francês, está a um golo de fazer história.

Desde 2006 que França não entrava a vencer

Minuto 4 no Al Janoub Stadium, golo da Austrália e os adeptos franceses apreensivos: apesar do amplo favoritismo dos “Bleus” à conquista dos três pontos e do estatuto de campeões do mundo, a realidade é que as estreias em edições do Mundial não têm corrido de feição à seleção francesa que não vencia o encontro inaugural desde o Mundial 2006.

Com o avançar do tempo, a superior qualidade individual e coletiva da equipa francesa acabou efetivamente por vir ao de cima, tanto que os eleitos de Didier Deschamps saíram para o intervalo em vantagem graças aos golos apontados por Adrien Rabiot e Olivier Giroud.

Na etapa complementar, o génio de Kylian Mbappé e nova finalização de Olivier Giroud sentenciariam as contas de uma partida dominada pela campeã do mundo em título que, em Al-Wakrah, se estreou de forma impositiva, não obstante o susto inicial.

A tendência para maus inícios em edições do Mundial foi quebrada e, também pela positiva para Olivier Giroud, os dois golos apontados colocaram-no em posição privilegiada para bater um recorde: o de melhor marcador da história do país.

Por esta altura, a França lidera o Grupo D, já que o encontro entre Dinamarca e Tunísia culminou com um empate sem golos.

As melhores Casas para apostar no Mundial 2022

[betway]

A um golo de Henry

Nem sempre bem amado pelos adeptos franceses, Olivier Giroud voltou a ser chamado por Didier Deschamps depois de não ter feito qualquer golo no Mundial 2018.

A lesão de Karim Benzema aumenta a responsabilidade de Giroud neste Mundial do Qatar e, no primeiro desafio, o avançado esteve a bom nível ao apontar dois golos.

Aos 36 anos, o avançado que vai sendo opção regular no AC Milan marcou por duas vezes à Austrália e igualou o compatriota Thierry Henry no topo da lista de melhores marcadores da história dos “Bleus”.

Neste momento, Giroud contabiliza 51 tentos e, se voltar a fazer o “gosto ao pé” neste Mundial 2022, tornar-se-á o melhor marcador da história da seleção.

Na lista de Didier Deschamps há outro atleta que consta nesta lista de melhores marcadores da história da equipa gaulesa: Antoine Griezmann. Por esta altura, o avançado do Atlético de Madrid, cinco anos mais novo que Olivier Giroud, leva 42 golos marcados ao serviço da seleção francesa.

O lesionado Karim Benzema é o quinto melhor marcador da história da seleção com 37 tentos apontados até então.

A seleção francesa volta a entrar em ação no dia 26 de novembro para medir forças com a congénere da Dinamarca a partir das 16 horas. Olivier Giroud terá uma oportunidade de ouro para (continuar) a  fazer história e, neste momento, lidera a corrida à Bota de Ouro Mundial 2022.

Aposte com os melhores bónus e promoções!

[betway]

Boas Apostas!