O segundo desafio dos quartos-de-final do Mundial 2022 tem apito inicial agendado para as 19h00 de sexta-feira, dia 9 de dezembro, no Lusail Iconic Stadium, palco que vai acolher a final da competição. Países Baixos e Argentina defrontam-se de olhos postos num lugar entre os quatro finalistas.

Países Baixos no Mundial 2022

A seleção dos Países Baixos regressou à fase final de um Campeonato do Mundo e foi sorteada no Grupo A, juntamente com o anfitrião Qatar e com as congéneres de Senegal e Equador.

Favorita a alcançar a fase a eliminar da competição na “pole”, a equipa neerlandesa conseguiu mesmo terminar no primeiro posto do Grupo A: arrancou com uma vitória por duas bolas a zero diante do Senegal, empatou com o Equador (1-1) e superiorizou-se ao Qatar por dois tentos sem resposta.

A seleção neerlandesa não deslumbrou em nenhum dos três encontros da fase de grupos, mas, verdade seja dita, também nunca sentiu necessidade de “puxar dos galões” dado que os adversários nunca impuseram grande exigência.

Vitória diante dos Estados Unidos

Nos “oitavos”, os eleitos de Louis Van Gaal marcaram encontro com a congénere dos Estados Unidos e, mais uma vez, destacaram-se pela competência e conquistaram um triunfo por três bolas a uma.

Memphis Depay inaugurou o marcador cedo (aos dez minutos), Blind dilatou a vantagem perto do intervalo e, já depois de a seleção dos Estados Unidos reduzir, Denzel Dumfries estabeleceu o 3-1 final que se ajusta ao que foi o jogo e premeia a melhor seleção ao longo de todo o desafio.

O triunfo permitiu aos Países Baixos alcançarem os quartos-de-final de uma edição do Campeonato do Mundo pela quinta vez, fase à qual já tinham chegado em 1994, 1998 e 2014 – ainda que em 1974 e 1978 tenham sido finalistas, nessas edições da prova, ainda não havia quartos-de-final mas sim uma segunda fase de grupos.

As melhores Casas para Apostar no Mundial 2022

[betway]

Argentina no Mundial 2022

As expectativas do povo argentino em relação ao desempenho da sua seleção antes da fase final de qualquer Campeonato do Mundo são, invariavelmente, elevadas.

Na primeira edição da competição após o desaparecimento de Diego Armando Maradona, a responsabilidade da “albiceleste” é ainda maior e os eleitos de Lionel Scaloni ambicionam, com toda a certeza, prestar a maior das homenagens póstumas a um dos maiores ídolos da história do futebol mundial.

O desaire inaugural às mãos da Arábia Saudita (1-2) lançou a dúvida, mas a Argentina soube reerguer-se, responder à altura e arrancar para uma campanha bem mais de acordo com aquilo que de si se espera: na segunda jornada venceu o México (2-0) e, na derradeira ronda, a Polónia (2-0).

Vitória frente aos “Socceroos”

A vitória no Grupo C permitiu marcar encontro com a seleção da Austrália, uma das adversárias mais “apetecíveis” de entre as que se encontravam a concurso nestes “oitavos”. No final, ainda que o encontro tenha chegado ao fim com uma vantagem tangencial e a Austrália até tenha estado perto de empatar já no final, a realidade é que o triunfo argentino se ajusta totalmente ao que aconteceu dentro de campo.

Leo Messi foi o responsável por abrir caminho para a vitória, isto depois de ter feito golos tanto à Arábia Saudita quanto ao México e de ter desperdiçado uma grande penalidade no compromisso com a Polónia.

Histórico entre Países Baixos e Argentina

O encontro entre Países Baixos e Argentina no Mundial do Qatar corresponderá ao décimo encontro entre estas seleções.

Mais do que o número de vezes que estas duas seleções já se defrontaram, importa atentar na natureza dos desafios em que estas duas equipas se enfrentaram: vai ser a sexta vez que as duas equipas se enfrentam em contexto de Campeonato do Mundo.

O encontro mais mediático da história entre as duas seleções aconteceu na final do Mundial de 1978, disputado na Argentina, com vitória dos donos da casa por três bolas a uma após prolongamento.

Em 2014, na última participação neerlandesa num Campeonato do Mundo, os argentinos venceram na decisão através da marcação de grandes penalidades e apuraram-se para a final da competição disputada no Brasil.

Esta vai ser a segunda vez que as duas seleções se enfrentam nos “quartos” de um Mundial, já que estiveram frente a frente precisamente nesta fase no Mundial de França, em 1998.

Para além destes encontros decisivos, neerlandeses e argentinos encontraram-se nas fases de grupos do Mundial da Alemanha em 1974 e a Alemanha, em 2006.

Saiba mais sobre histórico de confrontos e apostas desportivas.

Odds para o Países Baixos – Argentina

A seleção da Argentina surge, desde início, à frente da congénere dos Países Baixos na lista de principais favoritas a vencer este Mundial 2022.

Dadas as circunstâncias e o percurso que as duas equipas têm vindo a trilhar até aqui, é natural que as odds abonem a favor da seleção argentina.

Na Solverde, a vitória argentina no tempo regulamentar está cotada a 2.20, ao passo que um triunfo dos Países Baixos está cotado a 3.40.

Já no que à qualificação concerne, a odd associada ao acesso neerlandês está a 1.95, ao passo que a qualificação da Argentina está a 1.50.

Países Baixos e Argentina - Odds

Odds para Marcadores no Países Baixos – Argentina

Leo Messi é o principal favorito a chegar ao golo neste encontro entre Países Baixos e Argentina, surgindo aqui com uma odd de 2.50 associada.

Do lado sul-americano, Lautaro Martínez apresenta uma cotação de 3.25 associada à possibilidade de marcar.

Já na equipa neerlandesa, as odds indicam que Memphis Depay é o homem com maior probabilidade de chegar ao golo, já que a cotação que tem associada é de 3.40.

Saiba como realizar apostas em mercados de marcadores de golos.

Países Baixos e Argentina - Marcadores

Aposte com os melhores bónus e promoções!

[betway]

Boas Apostas!